sábado, setembro 06, 2008

post de domingo: sobre oliveira ser uma praga

como eu disse no post anterior, oliveira é uma praga. absolutamente todo mundo, inclusive você, conhece alguém dessa pacata cidade do interior de minas gerais.

o mais pitoresco [?] é que as pessoas de oliveira espalhadas por aí não se contentam em apenas existir; invariavelmente, em algum momento, você vai precisar de um oliveirense.

um caso clássico: a fiat tem a sua maior fábrica do mundo situada ali em betim, região metropolitana de belo horizonte. uma vez chegaram alguns engenheiros para uma visita, um benchmarking, provavelmente, e era preciso mais que um guia; um engenheiro deveria acompanhá-los e dar explicações técnicas. até aí tudo bem. a questão é que os visitantes eram russos e não falavam inglês ou italiano [esta segunda a língua oficial da fiat]. putz, e agora, onde a gente arranja um engenheiro que consiga explicar tecnicamente todo o mecanismo fiat em russo? ah, na fiat mesmo. e quem era o engenheiro? rodrigo, um cara de oliveira.

oliveirenses são uns tarados, já diria meu amigo alexandre magalhães.

quando foi feita a votação para que fosse aberto o processo de impeachment do collor, quem foi o deputado que deu o voto n° 336, final e decisivo? paulo romano, de oliveira. carlos chagas, sim, aquele da doença de chagas, nasceu onde? em oliveira. fernando mitre, diretor nacional de jornalismo da bandeirantes - oliveirense. paula carolina, jornalista fodona do caderno de automobilismo do estado de minas, é de oliveira. eliseu resende, hoje senador, milhões de vezes deputado; estudamos na mesma escola pública, que um dia foi tradicional e respeitadíssima, e já participamos juntos do desfile de 7 de setembro [que este ano caiu num fuckin' do-min-go]: oliveirense. titane, cantora super aplaudida, é de oliveira. dudu nicácio e cecilia silveira também.

isso só para citar gente publicamente conhecida. já perdi a conta de quantas pessoas chegaram pra mim e disseram 'ah, conheci uma pessoa de oliveira!'. e o pior é que eu sempre conheço quem a pessoa conhece, afinal, oliveira é um ovo.

aliás, quem é a única pessoa de minas gerais que conheço aqui em florianópolis? renata. de oliveira, é claro.

enfim, oliveira é aquele lugar onde todo mundo nasceu e do qual todo mundo saiu pra buscar seu rumo na vida. um exemplo da globalização desse mundo muuuderno.

somos mesmo uma praga.

3 comentários:

vitrolausada disse...

por isso que não tomo vacina.
gosto das pragas. (:

Ferdi disse...

Uma vez, qdo eu era criança, passei um final de semana numa fazendo. Eu era bem pequena mas nunca me esqueci porque aconteceram coisas insólitas (tipo eu quase morri de susto ao ver que tinha um sapo nadando comigo na piscina e minha mãe foi perseguida por uma vaca). Enfim, o caso é que ontem, coincidemente, meu pai achou umas fotos desaa viagem e falou: "Ah, aquela nossa viagem pra Oliveira!". Nossa! Fiquei feliz em saber que eu já tinha ido a Oliveira. Agora, com tantas referências, mais ainda...rs
Bjos!!
p.s: Paula Carolina é tipo uma epidemia por lá? haha

Liliane P. disse...

então, mas oliveira que se cuide porque são joão del rei é daí pra pior. [é engraçado porque eu tenho exatamente essa mesma teoria, só que sanjoanense.] tudo fez muito sentido no dia que vi no globo repórter que falava sobre brasileiros que bombam no eua e aí mostraram o brasileiro que faz com que as americanas tenham bumbum de brasileira. de onde é? oliveira? não, de sãojão, aflição!