quarta-feira, julho 30, 2008

@
esses meus leitores quase anônimos. todos vocês, os três ou quatro, façam o favor de responder à minha aflita pergunta lançada num post passado: eu sou pós-moderna? não acredito que ninguém respondeu. que falta de carinho, gente.

@
dar um tempo. cuidado: há sempre o risco de que o outro não queira pegar o tempo de volta. toma o tempo que pediu, pode ficar. não quero mais. just like that.

@
hoje é aniversário do mario quintana.

verso perdido

...eu te amo a perder de vista...

@
e aí que a gente tem meio que um instinto, o instinto mulherzinha, uma coisa que está cimentada sob anos de luta feminista por igualdade e tal e coisa e blá blá blá. mas o instinto está lá, o instinto num cantinho, só esperando aquela oportunidade. e quando a gente vai ver, pá, foi-se.

@
vi sex and the city, o filme. fiquei com vergonha alheia da carrie.

@
tem uma música que me persegue há anos e nunca consigo descobrir o nome dela ou o artista. o pior é que nem cantarolar o trem eu sei, nem letra, nem melodia, nada. e quando ouço nunca consigo memorizar. e isso me aflige um tantão [/neurose>].

6 comentários:

Ana Paula disse...

pós? é...hum....tipo assim....daí...

Ferdi disse...

Então, eu acho que vc é pós-moderna. Mas eu não sei explicar. Você tem uma aura pós-moderna...seja lá o que isso signifique. Só sei que é coisa boa.

Eu tive uma neura, com música, exatamente assim, vinda da infância. Até que um dia, vendo Vídeo Show, passou uma cena de uma novela, com a música ao fundo.
Pronto! Baixei os dois álbuns de trilha sonora de Sonho Meu e achei a música...que nem é tão legal assim...rs.

Beijos!!!

Ferdi disse...

Então, eu acho que vc é pós-moderna. Mas eu não sei explicar. Você tem uma aura pós-moderna...seja lá o que isso signifique. Só sei que é coisa boa.

Eu tive uma neura, com música, exatamente assim, vinda da infância. Até que um dia, vendo Vídeo Show, passou uma cena de uma novela, com a música ao fundo.
Pronto! Baixei os dois álbuns de trilha sonora de Sonho Meu e achei a música...que nem é tão legal assim...rs.

Beijos!!!

Anônimo disse...

Acho que sim...
Apesar de não ser adapta da cultura de massa, você se interessa por ela e tem interesse em estudá-la. Apesar dos amigos que tem, valoriza a sua individualidade e entende perfeitamente a fragmentação do tempo, a impressão de que ele nunca será suficiente... a visão de que tudo acontece muito rápido! Você questiona a objetividade e entende que os significados são específicos de uma cultura... compreende a subjetividade da vida.
Sim, eu acredito na sua pós-modernidade!

Liliane P. disse...

tô há dias pra te dizer que você é a pós-moderna mais retrô que conheço. ou a retrô mais pós-moderna. essa dicotomia. aliás, você podia ser paula dicotomia ribeiro, muito prazer.

Liliane P. disse...

uma dúvida: o que fazer quando queria que um tempo nunca tivesse sido? às vezes fico pensando que cuspo no prato que como. ou não. acho que estou usando seu blog como divã. sorry.