sexta-feira, fevereiro 15, 2008

the o.c., episódio velho. meio da tarde de uma quinta-feira.

núcleo dos pais lá do seriado. a mãe adorava o feriado de valentine's day e tals, feriado favorito, coisa de americano.
e o marido dela, sempre tudo de bom, sabia disso. aí ele encheu a casa de flores, um monte mesmo, no dia anterior ao feriado, pra já embalar nas comemorações.
só que a mulher descobriu que ele, advogado, estava em contato com uma antiga namorada/ amiga dele, sem contar pra ela e ficou meio puta. a fulaninha era cliente dele ou coisa que o valha, mas em sigilo.
enfim, ele explicou, nao tinha nada mesmo, bora comemorar o dia dos namorados. ele pediu pra ela reservar uma mesa no restaurante preferido dele, ela adorou, tudo rosa.
eles se arrumaram, tavam pra sair.
ela foi ao banheiro e, enquanto isso, toca o celular dele. ele atendeu e, quado ela chegou, ele disse no telefone que ligava mais tarde pra pessoa. claro que era a fulaninha.
a mulher, só pra confirmar, perguntou pra ele se era a fulaninha, ele disse que sim, ela perguntou o que a fulaninha queria, ele disse que a fulaninha ia embora naquela hora.
aí ela perguntou se a fulaninha queria se despedir dele, ele disse que sim.
aí ela disse 'eu nao vou te impedir de ir se despedir dela'.
aí ele chegou bem perto dela e disse... 'eu não demoro'.
e foi.

2 comentários:

samara disse...

Sério? Sei não... A bem da verdade é que a fulaninha é que a vítima da história, mendigando por atenção.

By the way, nunca consegui ver um episódio inteiro de The O.C, sempre enchia o saco na segunda ou terceira cena.

E vc, tá em Floripa já? Faz tempo que não "te vejo". Não demore.

Beijos!

Liliane P. disse...

Homens. Típico (deles e dos roteiristas). Aff. O bom da história é: meio da tarde, quinta-feira, assistindo episódio meio velho.