quarta-feira, junho 10, 2009

. C. 4.000 a.C. Com a inscrição em uma tabuleta de argila de sinais que representam 10 cabras e ovelhas, faz sua aparição o primeiro leitor.

. 593 a.C. O profeta Ezequiel tem uma visão na qual se lhe ordena que abra a boca e leia um livro comendo-o, para ingerir seu conteúdo.

. C. 330 a.C. Ante suas tropas, Alexandre Magno lê em silêncio uma carta de sua mãe, o que surpreende seus homens, que nunca antes haviam visto alguém que ao ler não o fizesse em voz alta.

. C. 200 a.C. Aristófanes de Bizâncio inventa os sinais de pontuação. Até então as palavras se escreviam juntas, em uma linha ininterrupta.

. C. 230 a.C. Por edito real, todos os barcos que atracassem em Alexandria teriam que entregar os livros que levassem a bordo para que fossem copiados na biblioteca da cidade. Quando esta ficou reduzida a cinzas, se perdeu irremissivelmente a maior coleção de livros do mundo, cerca de meio milhão de títulos.

. C. 1.000 a.C. Para não ter que se separar de sua coleção de 117.000 livros, Abdul Kassem Ismael, ávido leitor e grão vizir da Pérsia, faz com que os transportasse uma caravana de camelos adestrados para marchar em ordem alfabética.

. C. 1.100. O teólogo islâmico Muhammad Al-Ghazali dispõe uma série de regras para ler o Corão. O número seis prescreve o choro, já que algumas partes do Livro Sagrado se deve ler com aflição.

. 1333. O pintor Simone Martini coloca um livro nas mãos da Virgem em sua Anunciação. A Igreja Católica, reticente a pronunciar-se sobre a capacidade intelectual das mulheres, delibera se pode reconhecer-se como leitora a Mãe de Deus.

. 1534. O humanista William Tyndale, baseando-se na convicção de que seus compatriotas tinham direito de ler a Bíblia em seu próprio idioma, traduz pela primeira vez a essa língua o Novo Testamento e boa parte do velho. Por isso, o estrangulam e o queimam na fogueira.

. 1703. São João Batista de la Salle, em suas regras do decoro na urbanidade cristã, combate os ociosos que se atrevem a ler na cama.

. 1752. O Papa Benedito XIV, sabendo da cobiça dos leitores, proclama uma bula em que se castiga com a excomunhão aos ladrões de livros.

. 1872. O guardião da moral Anthony Comstock funda a Sociedade para Erradicação do Vício em Nova York e manifesta que não é necessário ler primeiro um livro para proibí-lo. Ao final de sua vida, se orgulha de haver destruído 160 toneladas de literatura 'obscena'.

. 1935. Penguin lança à venda os 10 primeiros títulos da coleção em rústica, mais popular da história, destinada a leitores que queriam que os livros coubessem no bolso.

. 1970. O especialista em computadores Ted Nelson cunha o termo 'hipertexto' para definir um tipo de ordenação narrativa em que o leitor pode entrar e progredir à vontade.

Fonte: Nonada n° 163 - 16/mar/2006.
PUC Minas - Diretoria de Arte e Cultura.

Um comentário:

Tony R. M. Rodrigues disse...

Adorei o texto e o blog, mas, hummm... pela missão de ser "chato, bobo e feio", acho que vc deveria repensar seu blog, o visual bacana não está combinando com o lema do que vc deseja!

Abraço.