terça-feira, novembro 18, 2008

SÓ A LAMA CURA -SEGREDOS DA AUTO-AJUDA PUNK-BREGA (I)

[Dedicado e a pedido dos amigos que no momento chupam o frio chicabon da dor amorosa... e não são poucos]

O mantra é esse, pombinhos desgarrados e estraçalhados pelas agruras do amor: “Só o caminho do excesso conduz ao palácio da sabedoria”. Assina que é o verso é teu, velho William Blake.. Ou seja, numa livre tradução para a nossa baixaria de vida de hoje: SÓ A LAMA CURA!

Seu guarda, eu não sou vagabundo, sou um cara carente, estirado aqui na praça Roosevelt, com o meu próprio teatro do absurdo no bolso, pensando nela!

Seu guarda, acabei de chorar lágrimas caubói _não os da montanha, mas os vaqueiros do asfalto_ no porão com Wander Wildner, que cantava as suas dores de trovador punk brega.

SÓ A LAMA CURA!

Leve a sua dor para as ruas, seus bares/seus mares, nade com ela no seco por debaixo das mesas, exponha-se, seja a vitrine de suas próprias escoriações, não se envergonhe, molhe o ombro do garçom amigo, derrame uma para o santo e entorne a próxima bagaceira com gosto de sangue e luto.

Se a vida dói, drinque caubói.

Wander Wildner, o que nossa dor idiota vai ser quando crescer? Rato de porão, rato de porão.

Cubra-se do negro do luto e qual um espadachim caricato leve a sua dor para um rolê nos subterrâneos da cidade. Quando estiver bem torto, ria da sua dor como um bêbado se diverte com a sua própria sombra em farrapos.

Auto-ajuda punk: não glamourize tanto a sua dor, tire onda, o amor é assim mesmo, como me disse um dia, num botequim imginário, um escriba italiano cheio das grapas: um beijo,dois beijos, três beijos, quatro beijos, cinco beijos... cinco beijos, quatro beijos, três beijos, dois beijos, um beijo... e FIM e pronto.


3 comentários:

Liliane P. disse...

comento com gente que escreve melhor do que eu: "Sou uma vítima e não um especialista do amor e não poderia escrever sobre o amor que não fosse patológico, disse Alan Pauls. juntando este com aquele, realmente: SÓ A LAMA CURA. o amor?

Cherry.~ disse...

aah, esse post me lembrou um verso de um poema que me ajudou a sair da Lama, CURADA!

"Olhas, desfeito em lodo, o que te deslumbrava… "

é de Olavo Bilac, Inania Verba

Thakau disse...

Nossa genial eu diria! Acho tbm que se sente dor que sinta ao maximo, uma hora a coisa passa. Todos chegamos a um limite!! Vou escrever sobre isso!!!

bjooos