sábado, agosto 23, 2008

aparar as arestas, tudo o que sobra. mais ouvir do que falar. enxergar de algum ângulo novo, enxergar de novo. apreender o azul que emana de tudo o que não é desvio. silêncio. confiar no que o outro pode fazer. expectativas doces, fantasia que faz sorrir. fluir. cuidado com os desesperos internos, tão tristes mas ainda assim meus. deslocamento. um pouquinho. sem auto customização só para agradar. pra dentro. vento. outros excessos.

hoje eu me quero discreta e leve.

Um comentário:

Ferdi disse...

Eu acho que minha versão discreta e leve deve ser linda. Mas eu ainda não a conheço...rs
Paulete, vim partilhar com vc meu desolamento com o vôlei. Estou passada. Mais uma vez, a teoria da zica se mostra implacável!