sexta-feira, julho 18, 2008

Vamos fazer um poema
ou qualquer outra besteira
Fitar por exemplo uma estrela
por muito tempo, muito tempo
ou qualquer outra besteira
Vamos beber uísque, vamos
beber cerveja preta e barata,
beber, gritar e morrer,
ou, quem sabe? Beber apenas.
drummond

vamos andar pela areia e sentir a água gelada entre os dedos, cócegas involuntárias no inverno. vamos sair à noite e nos aquecer entre beijos e perfumes, entre efêmeros olhares que escapam - esse seu olhar tão claro e docemente envergonhado. vamos tomar cerveja e tomar fôlegos, muitos, vários, todos. vamos esquecer o que veio antes e o que virá depois, vamos viver só o que o toque confirma existir. vamos ouvir jazz e chico e brincar de sermos só um. vamos perder o medo, vamos olhar pra dentro e gritar vontades de paixão. vamos ter outra coisa, sentimento diferente de tudo o que já se quis. vamos falar dos nossos amores - galeano, frio, leminski, macarrão -, vamos rir dos nossos sotaques, vamos difamar nossas cidades e as dos outros. vamos brincar de fazer durar, mesmo sem o amplificador. vamos nos fazer convites de sim.

4 comentários:

Deva_neios disse...

Possilidades sao muitas...

Ferdi disse...

Vamos. E todos os dias.
Ai ai...vai escrever bonito assim lá em Floripa...
Beijos!

mariasamara disse...

E tem como dizer não? Tão lindo esses escritos.

Raul disse...

Vamos fazer tudo isso e depois fazer tudo isso de novo. Vamos ler essas palavras umas 30 vezes cosecutivas só pra sentir o gostinho e o encanto da primeira leitura mais uma vez.

Encantador Paulinha! Suas palavras se fizeram magníficas a altura do poema que você escolheu. Lindo!