sábado, janeiro 12, 2008

essa semana eu tive uma experiência QUASE emocionante. entre as arrumações dos infindáveis montes de papel que consegui acumular em 4 anos de faculdade [resolução de ano novo: NUNCA acumular papel], as paradas estratégicas para assistir chaves e x-men e algumas sonecas [siiim, eu tenho dormido à tarde! rá!], meu telefone toca.

o telefone tocar nem é emocionante, eu nem gosto de telefone, fico tímida, mas a questão é que era um cara do IBOPE querendo falar comigo. I-B-O-P-E. ele se identificou e perguntou se poderia tomar 5 minutos do meu tempo. eu respondi que sim, né, toda idiota. mas enfim, segue o diálogo abaixo:

moço do telemarketing: ok, senhora, vamos começar. quantos anos a senhora tem?
paula: 22!
moço do telemarketing: ahm...
paula: ...
moço do telemarketing: ...
paula: alô?
moço do telemarketing: senhora, me desculpe, senhora, mas precisamos de pessoas que tenham entre 15 e 19 anos ou entre 25 e 30, senhora!
paula [frustrada]: am... sei...
moço do telemarketing: tenha uma boa tarde!

pois é.

3 comentários:

Raul disse...

Essa sim é uma daquelas situações que mereciam ir pro "Retrato Falado" do Fantástico. Muito massa!

Abs!

inferno da consciência disse...

é a farsa... a grande farsa... cuidado!

bjs

Ferdi disse...

então eu também estou no limbo do IBOPE...que triste!