terça-feira, janeiro 30, 2007

sorrateiramente observo seu corpo, seus lados, suas fugas, a roupa que ainda resta; composição de um quadro com ponto de fuga [tudo alinhado por cores de tatuagem]. momento que dura segundos e que antecede o gosto de quando me abraça sem razão, no meio da noite, em meio às nossas palavras que já têm aroma e textura. quer ser meu janeiro fevereiro março abril maio junho julho agosto setembro outubro novembro dezembro [isso é só poesia; o correto é 'quer ser meu para sempre?']? tudo é adorável e doce na medida certa, pedaço de torta trufada [inspiração com várias opções de sabor]. chove e a vida é azul, e já não importa se há pés molhados, se há febre, se há trânsito, se há despertadores; no fim, o fato de que há você tudo compensa.

[e sim, eu quero].

4 comentários:

Ferdi disse...

Ui!
(na verdade eu queria escrever uma onomatopéia de suspiro, mas não me lembro como é...rs).
Beijos!

andré disse...

[mais ainda]
beijo

Sam disse...

ah, o amor...

Raul disse...

Ué...liberdade de interpretação...

(será que eu falei merda?)