sexta-feira, agosto 15, 2008

do blog do marcelo coelho

MUITA QUILOMETRAGEM


Tempo de Olimpíadas. Roberto se interessava bastante.

--Pelas mulheres. O resto que se dane.

Jogadoras de vôlei. Nadadoras. Judocas.

--Em qualquer esporte, sempre tem uma que vale a pena.

Um vento fraco nos altos da Paulista acompanhava o cair da noite.

--Hora do nosso plantão olímpico...

A televisão mostrava um retrospecto do maior evento esportivo mundial.

--Maratona feminina. Vamos nessa.

As atletas eram excessivamente magras e angulosas.

--Hum... mas tem uma loirinha ali... vale a pena acompanhar.

A loirinha deu vontade de cerveja gelada. Roberto seguia a íntegra da corrida.

--Será que é alemã? Não. Sueca.

O sono de Roberto. O cansaço da sueca. Muita quilometragem.

O corpo e o rosto da maratonista começaram a sofrer sutil transformação.

Algumas rugas. Depois, pelancas. Uma mulher maquiada e de peruca terminou a última volta. Salto alto. Andar rebolado. Jóias no pescoço completavam a visão.

--Desliga essa joça, Roberto. Que eu sou a Dercy Gonçalves.

O rapaz acordou assustado. E promete torcer só pelo vôlei feminino.

Nossos sonhos são como maratonas. É preciso saber desistir na hora certa.



http://marcelocoelho.folha.blog.uol.com.br

grifo meu

3 comentários:

instantes e momentos disse...

muito bom o post. Gostei do teu blog. Parabens.
Vai virar mania.
Maurizio

Thais. disse...

hora certa... isso é muito difícil.

Felipe Held disse...

Nossa, lendo o texto do Marcelo Coelho me deu vontade de pegar uma cerveja na geladeira. A primeira desde que as Olimpíadas começaram, uh!

Mas lembrei dessa cena (não que eu tenha visto ao vivo, aconteceu quatro anos antes de eu nascer): http://www.youtube.com/watch?v=Zs4lbNPiat0