segunda-feira, março 03, 2008

pois é, estou em florianópolis. cheguei na quinta-feira passada e só hoje a minha internet foi instalada. eu sei, nem demorou tanto, mas fiz tanta coisa que parece que já se passou um mês e não apenas alguns dias.

vamos aos choques iniciais da mudança. de cara, descobri que florianópolis é a terra do cupim. cheguei ao que seria [depois de muita arrumação] a minha humilde choupana, e tudo o que encontrei foram móveis aparentemente perfeitos mas totalmente corroídos. eles foram retirados, anti-mofo e naftalina espalhados pela casa, limpeza geral, desinfetante e mobília substituída. apesar de contar com um pequeno armário, ainda me falta um guarda-roupa/ cômoda, que deve chegar um dia, mas o fato é que não tenho lugar para acomodar meus pertences, tipo sapatos. ou seja, a maioria absoluta das minhas roupas encontra-se na mala, já que o pequeno armário ficou para coisas como toalhas, lençóis, edredons etc.

uma coisa muito chocante - pelo menos pra mim: aqui não tem sbt na tv aberta. dizem que há cerca de um mês atrás a record deu dinheiro pra alguém e comprou o pedaço que era do sbt. o fato é que eu não tenho mais chaves e nem desenhos animados bacaninhas pela manhã. a minha idéia é fazer um abaixo-assinado com todos os velhinhos de florianópolis - que estão putos com esse história de não ter mais sílvio santos - e acabar com essa putaria.

outra coisa engraçada: você dificilmente encontra açougues nas ruas daqui. tem verduras fresquinhas, lavanderia, lan house, restaurante, cerveja de casco [antártica a R$1,89, gelada!], tudo a preço justo e pertinho da minha casa, mas não tem carne. achei um saco.

as pessoas por aqui têm sotaques muito diferentes entre elas. por exemplo, uma pessoa que nasceu numa cidade a 100km de florianópolis e mora por aqui tem um jeito de falar completamente distinto de um nativo. confesso que prefiro os sotaques do interior porque tenho dificuldades em entender o que o povo aqui da ilha fala - eles falam muito rápido.

a ufsc, onde irei estudar, é bacaninha. conheci pessoalmente o meu orientador, ele é ótimo, o pessoal do grupo de pesquisa idem, muita gente inteligente. dá um pouco de medo, me sinto muito verde perto deles, mas enfim. amanhã provavelmente irei até a ufsc para checar qual é o esquema da biblioteca e também onde consigo fazer aulas de francês, de preferência pagando quase nada.

no mais, é tanta coisa pra fazer, pra ajeitar, pra me acostumar, pra entender, que ainda não deu pra viver normalmente, ter rotina e tals. nem começou ainda.

4 comentários:

inferno da consciência disse...

boa sorte, amore...
te amo, horrores!
beijos

Ferdi disse...

De repente eu me dei conto que o mundo sem SBT parece mais estranho...

Beijossssss

Liliane P. disse...

Não creio mesmo que você foi e a gente nem despediu. Snif. Por outro lado, é como se você não tivesse ido...
Ai, mas como eu tô achando bizarra a falta de SBT...

Carol disse...

Saudades de você...
Foi embora e nem deu tchau...