segunda-feira, fevereiro 26, 2007

era uma vez uma geladeira cheia de coisas gostosas. só que ela vivia com fome, afinal, geladeira só come quando algo dá errado: a coca-cola derrama, a fruta sai do saco plástico ou o molho entorna. mesmo assim a geladeira era feliz, estava em bom estado e, mesmo alimentado-se pouco, pode-se dizer que comia bem. era uma geladeira amarela e gorda, baixinha e parruda, um 'clássico do design'. ela sabia disso porque o namorado de sua dona disse essa expressão numa tarde ociosa de domingo. a geladeira era sozinha, mudou-se para a capital deixando para trás todo o conjunto de companheiros: armários, prateleiras, o fogão [seu bom amigo fogão]. e existia uma torcida constante para que esquecessem cervejas no congelador, para que ela pudesse tomar uma geladinha no verão.

Um comentário:

andré disse...

rá! viu como você sabe contar histórias?

beijos